Mausoléu da Luta e do Martírio

Mausoléu da Luta e do Martírio

Celas claustrofóbicas, salas de interrogatório, uniformes nazistas, depoimentos reais... A antiga sede da Gestapo expõe com um realismo cruel como a polícia nazista operava durante a ocupação de Varsóvia. 

Em 1941, com a entrada das tropas nazistas na capital polaca, começou um dos capítulos mais sombrios da história de Varsóvia. Uma das táticas mais eficazes do novo regime foi a Gestapo, a polícia secreta a serviço dos nazistas.

O edifício que hoje abriga a sede do Ministério da Educação e Assuntos Religiosos da Polônia foi durante a Segunda Guerra Mundial a sede da Gestapo em Varsóvia. Nessas salas, foram cometidos todos os tipos de atrocidades que são narradas com realismo e crueza nesse museu, um dos mais importantes se você quer conhecer a história de Varsóvia.

O museu da Gestapo em Varsóvia

A antiga sede da Gestapo em Varsóvia recria as diferentes salas que a polícia nazista usava para prender, interrogar e assassinar os suspeitos de agir contra o regime. 

Nas paredes das celas você poderá ver as inscrições reais dos prisioneiros poloneses detidos durante a Segunda Guerra Mundial. Os prisioneiros podiam ficar trancados e algemados nessas celas durante meses, sofrendo constantes interrogatórios e sendo torturados em função da gravidade dos seus crimes

O mausoléu da luta e do martírio também abriga uma recriação exata do escritório do chefe da Gestapo em Varsóvia. Você poderá ver o seu uniforme, os papéis encima da mesa e até as armas e os instrumentos utilizados para torturar os presos

Na antiga sede, você também poderá ver as salas onde os presos esperavam em condições desumanas até serem interrogados. Eles ficavam amontoados em espaços bem pequenos e podiam passar dias sem comer ou dormir. 

A parte mais impactante do museu é uma sala onde você poderá ver depoimentos reais dos presos que sobreviveram à Gestapo, bem como histórias pessoais dos polacos que tentaram ajudar seus compatriotas. 

Um museu tenebroso

Embora na antiga sede da Gestapo tenham sido cometidas verdadeiras atrocidades, consideramos que o museu recria com um realismo excessivo o sofrimento e os atos desumanos que aconteceram nessas salas.

A luz do museu é tênue demais e ao longo da visita você pode escutar o grito de pessoas sendo torturadas, o que é bastante sinistro. Embora tudo isso faça com que o museu seja mais realista, também é algo bem desagradável. 

Horário

De quarta-feira a domingo: das 10:00 às 17:00 horas.

Preço

Ingresso geral: 10 (US$2,50).
Ingresso reduzido: 5 (US$1,30).
Visita guiada: 60 (US$15,10).

Transporte

Ônibus: linha 222.